Warning: Undefined array key "id" in /home2/sindicar/public_html/wp-content/plugins/audima/Audima_Plugin.php on line 311

Warning: Undefined array key "plan" in /home2/sindicar/public_html/wp-content/plugins/audima/Audima_Plugin.php on line 312

Sindicato participa de audiência pública da JBS


Warning: Undefined array key "id" in /home2/sindicar/public_html/wp-content/plugins/audima/Audima_Plugin.php on line 311

Warning: Undefined array key "plan" in /home2/sindicar/public_html/wp-content/plugins/audima/Audima_Plugin.php on line 312

O Sindicarne participou da audiência pública que debateu a situação dos trabalhadores da JBS e demais empresas do grupo J&F Investimentos, no Estado. O evento, promovido pela Comissão de Direitos Humanos e Segurança Pública, aconteceu no dia 30 de novembro, na Assembleia Legislativa da Bahia.

 O posicionamento do Sindicato foi de defender os trabalhadores, que não devem ser penalizados em função da crise que passa os donos da companhia. “Não estamos aqui para defender nenhum tipo de corrupto. É preciso punir o CPF, não o CNPJ”, exclamou o presidente do Sindicarne e diretor da FETIABA (Federação dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentos e Afins no Estado da Bahia), Ronielson Conceição.

Na Bahia, o setor frigorífico tem cerca de 7 mil empregos. Só a JBS responde por 2.500 nas duas plantas em operação nos municípios de São Gonçalo dos Campos e Itapetinga.

Para a supervisora técnica do Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos) na Bahia, Ana Georgina Dias, “infelizmente, qualquer impacto mais negativo no negócio dessas empresas vai ter um efeito extremamente negativo à economia dos municípios, onde normalmente essas empresas são grandes empregadoras, fazendo com que toda cadeia econômica entre em colapso”.

 O debate sobre a situação dos funcionários da JBS também chegou à Câmara dos Deputados, em Brasília. No dia 12 de dezembro, o Sindicarne participou de audiência pública na Casa. Mais uma vez, a entidade manifestou preocupação com a preservação dos empregos e salientou que a culpa pela crise não pode recair nas costas dos trabalhadores.

Assista trechos da audiência:

você pode gostar também